03.27.2013 

Déménagement - Moving - Mudança

Je reprends progressivement tous les posts de ce blog pour les joindre à mon autre blog…

I’m moving all the posts of this blog to my other one…

Eu mudo todas mensagens deste blog para meu outro blog…

 ”A Ilha do Francês” [ailhadofrances.tumblr.com]

 07.1.2011 
Ouvido 0 vezes

Francisco Alves - Eu Quero É Nota (Arthur Faria “Arthurzinho”) - Odeon 1928

Orquestra Panamerican.

Eu quero é nota, carinho e sossego
Para viver descansado
Cheio de alegria, meu bem
Com uma cabrocha ao meu lado

Eu queria ter dinheiro
Que fosse em grande porção
Eu comprava um automóvel
E ia morar no Leblon

Eu, como sou operário
E não posso ser barão
Vou morar lá em Mangueira
Num modesto barracão

Leblon 1934

Leblon 1934

 06.30.2011 
Ouvido 0 vezes

Dorival Caymmi - Marina (Dorival Caymmi) - Album Eu Não Tenho Onde Morar 1960 EMI Odeon, produtor: Aloysio de Oliveira.

Lindolfo Gaya (arranjo) e sua Orquestra.

Primeira gravação dessa canção em 1947 RCA Victor

Dorival Caymmi - Eu Não Tenho Onde Morar

“Marina, morena
Marina, você se pintou
Marina, você faça tudo
Mas faça um favor
Não pinte esse rosto que eu gosto
Que eu gosto e que é só meu
Marina, você já é bonita
Com o que deus lhe deu
Me aborreci, me zanguei
Já não posso falar
E quando eu me zango, marina
Não sei perdoar
Eu já desculpei muita coisa
Você não arranjava outra igual
Desculpe, marina, morena
Mas eu tô de mal

Eu já desculpei muita coisa
Você não arranjava outra igual
Desculpe, marina, morena
Mas eu tô de mal
De mal com você
De mal com você.”

 06.29.2011 
Ouvido 0 vezes

Almirante (Henrique Foréis Domingues) e varios músicos do Grupo da Velha Guarda - Pelo Telefone (Donga / Ernesto dos Santos - Mauro de Almeida / “O Peru dos Pés Frios”) - Album A Música de Donga 1974, gravação 1956.

Arranjo: Dino 7 Cordas (Horondino José da Silva).

O primeiro “Samba carnavalesco” registrado na Biblioteca Nacional em 1916, gravado em 1917 por o cantor Bahiano na Casa Edison.

“O chefe da folia
Pelo telefone manda me avisar
Que com alegria
Não se questione para se brincar…”

A Música de Donga - 1974

 06.29.2011 
Ouvido 0 vezes

Ernani Filho - Faz Uma Semana (Tom Jobim - João Stockler) - Album Antonio Carlos Jobim Meus Primeiros Passos e Compassos 1997, gravação 1953 Revivendo Discos.

Lyrio Panicalli (Arranjo) e sua Orquestra.

João Stockler é Juca Stockler ou Juquinha, o amigo de juventude de Tom Jobim que tambem participou no acompanhamento de algumas músicas (A gravação de Chega de Saudade por Elizeth Cardoso em 1958).

Esta canção vem do sentimento de tristeza de Juca porque sua namorada, uma cantora, viajou sem dar nenhuma notícia, “Faz uma semana”, disse Juquinha…

Naquela época, Tom era novamente assistente de direção artística na gravadora Continental.

Antonio Carlos Jobim - Meus Primeiros Passos e Compassos 1997

 06.28.2011 
Ouvido 0 vezes

Clara Nunes e Chico Buarque - Morena de Angola (Chico Buarque) - Clara Com Vida 1995 EMI

’será que a morena cochila
escutando o cochicho do chocalho?
será que desperta gingando
e já sai chocalhando pro trabalho?…’

Obrigado flavialabanca

Clara Nunes - Clara Com Vida 1995

 06.27.2011 
Ouvido 0 vezes

Quarteto Em Cy, Vinícius de Moraes & Dorival Caymmi - Aruanda (Carlos Lyra - Geraldo Vandré) Adalgiza (Dorival Caymmi) - Album Vinícius / Caymmi No Zum Zum 1966 Elenco (Aloysio de Oliveira) com o Quarteto Em Cy e o conjunto Oscar Castro Neves

Vinícius / Caymmi no Zum Zum 1966

 06.27.2011 
Ouvido 0 vezes

Dalva de Oliveira - Errei Sim (Ataulfo Alves) - Odeon 1950 + varias edições dessa gravação por RCA EMI Odeon Editora Globo em 1987 1997 1998

Dalva de Oliveira

uma capa de 1997

Errei sim,
Manchei o teu nome
Mas foste tu mesmo
O culpado
Deixavas-me em casa
Me trocando pela orgia
Faltando sempre
Com a tua companhia.

Lembra-te, agora, que não é,
Só casa e comida
Que prende por toda a vida
O coração de uma mulher.

As jóias que me davas
Não tinham nenhum valor
O mais caro me negavas
Que era todo o teu amor,
Mas, se existe ainda
Quem queira me condenar,
Que venha logo
A primeira pedra
Me atirar.

Dalva de Oliveira - 1987

linda capa de 1987

 06.26.2011 
Ouvido 0 vezes

Moreira da Silva - Acertei No Milhar (Geraldo Pereira - Wilson Batista) - Album O Último Malandro 1958 Odeon EMI

Moreira da Silva - O Último Malandro 1958

“Etelvina (o que é, Morengueira?)
Acertei no milhar!
Ganhei quinhentos contos, não vou mais trabalhar
você dê toda roupa velha aos pobres
e a mobília podemos quebrar
(breque)
“Isso é pra já, vamos quebrar. Pam, pam, bum, etc…”

Etelvina vai ter outra lua-de-mel
você vai ser madame
e vai morar num palacio hotel
eu vou comprar um nome não sei onde
de Marquês Morengueira de Visconde
um professor de francês mon amour
eu vou troc ar seu nome pra Madame Pompadour
Até que enfim agora sou feliz
vou passear a Europa toda até Paris
e nossos filhos, oh, que inferno
eu vou pô-los num colégio interno
me telefone pro Mané do armazém
porque não quero ficar devendo nada a ninguém
e vou comprar um avião azul
para percorrer a América do Sul
mas de repente, derrepenguente
Etelvina me acordou está na hora do batente
mas de repente, derrepenguente
- Se acorda, vargulino! Saia pela porta de trás que na frente tem gente.
Foi um sonho, minha gente!”

Antônio Moreira da Silva (1902-2000) foi conhecido como Kid Moringueira.

Carioca da Tijuca, criado no Morro do Salgueiro, só iniciou os estudos aos nove anos, mas abandonou a escola aos onze anos, quando o pai faleceu. Foi empregado de fábricas, tecelagens e chofer de praça e de ambulância.

Considerado o criador do samba-de-breque, Moreira da Silva iniciou sua carreira em 1931, com Ererê e Rei da Umbanda. Em 1992, foi tema do enredo da escola de samba Unidos de Manguinhos. Em 1995 gravou “Os 3 Malandros In Concert” com Dicró e Bezerra da Silva, aos 93 anos de idade.

Com 98 anos de idade, ainda se apresentava em shows.

Participou do histórico disco de Chico Buarque de Holanda, a “Ópera do Malandro” de 1979, fazendo dueto com o próprio Chico.

Fonte Wikipedia

 06.25.2011 
Ouvido 0 vezes

Escola Portátil de Música - Mes Songes (Polca - Misael Domingues) - Choro Carioca - Música do Brasil - CD Nordeste Rio 1 2006 Acari Records

Intrumentistas: Arranjo: Cristóvão Bastos (piano), Mauricio Carrilho (violão 7 cordas), Marcelo Bernardes (clarinete), Luciana Rabello (cavaquinho), Celsinho Silva (pandeiro).

Misael Domingues (1857-1932), nasceu em Alagoas, Engenheiro civil no Rio em 1885, ele ficou com sua atividade de compositor e escreveu mais de 50 peças dançantes.

Escola Portátil de Música

 06.25.2011 
Ouvido 10 vezes

Tom Jobim - Carinhoso (Pixinguinha - João de Barro) - Album Tide 1970 CTI Records (Creed Taylor)

1/10 Série: As 10 Melhoras Músicas Brasileiras segundo Tom Jobim.

Tide - Tom Jobim 1970

Fonte “Antonio Carlos Jobim: Uma Biografia” por Sérgio Cabral p. 254-256: numa entrevista com o jornalista Sérgio Bittencourt, voltando da gravação desse disco nos EUA, Tom Jobim atendeu ao pedido do jornalista sobre as 10 melhoras músicas brasileiras.

A primeira citada foi Carinhoso de Pixinguinha, música composta nos anos 1920, gravada em 1928, letrada depois por João de Barro.

Vamos aqui divulgar essas 10 músicas.

Gravação nos dias 20 e 22 de maio de 1970 New York

Arranjo: Eumir Deodato - piano, piano elétrico e violão Tom Jobim - brasileiros no time ritmico: João Palma (bateria), Airto Moreira e Everaldo Ferreira (percussões), os demais eram todos norte-americanos com destaque para Joe Farrell (flauta), Ron Carter (contrabaixo)…

Creed Taylor (1929) é um dos responsavéis por trazer a música brasileira e os grandes nomes da bossa nova para os EUA.

 06.24.2011 
Ouvido 0 vezes

Jorge Goulart (Jorge Neves Bastos) - A Voz do Morro (Jorge Goulart) - Album Eu Sou o Samba 1960 RCA Victor

Jorge Goulart (1926) foi casado com a cantora Nora Ney, que faleceu em 2003.

Jorge Goulart - Eu Sou o Samba 1960

Filho do jornalista Iberê Bastos e de Arlete Neves Bastos. Desde pequeno mostrou interesse pela música, participando de serestas no bairro carioca do Méier. Gostava de cantar os sucessos dos grandes cantores da época: Francisco Alves, Vicente Celestino, Orlando Silva, o seu preferido, e Carlos Galhardo.

Aos 17 anos, ficou conhecendo os compositores Benedito Lacerda, Custódio Mesquita e Orestes Barbosa, apresentados por seu pai, no antigo Café Nice. Com apenas 18 anos, casou-se pela primeira vez e teve uma filha, que 18 anos depois se casaria e faria o cantor tornar-se avô aos 36 anos de idade. Em 1952, iniciou relacionamento afetivo com a cantora Nora Ney, recém-separada, com quem tempos depois passou a viver. Em 1982, depois de 30 anos juntos, os dois casaram-se oficialmente. Teve vários apelidos: César de Alencar o chamava “Gogó de ouro” ou “Boca de caçapa” e os amigos de “Bochecha de alumínio”. Em 1983, por conta de um câncer, submeteu-se a operação para a retirada das cordas vocais, tendo que reaprender a falar através do esôfago. Foi ativista político e filiado ao Partido Comunista o que lhe rendeu perseguição e até mesmo o ostracisco artístico durante a ditadura militar. A esse respeito, em sua entrevista ao Pasquim 21, em janeiro de 2004, afirmou: “meti na minha cabeça que tinha que sair bem no fim de tudo. Foi uma fatalidade, estava sendo obrigado a me retirar, não tinha satisfações a dar, e isso ao invés de me prejudicar, me consolou. Ganhei outra vida. Passei a fazer coisas que nunca tinha feito antes: reparar numa árvore, numa flor. Sempre levara aquela vida fechada, em boates, naquela fumaça…Aceitei sair da arena”. Fonte Dicionario Cravo Albin da MPB

 06.23.2011 
Ouvido 0 vezes

Aloysio de Oliveira & Bando da Lua - O Zé Da Tuba / When Yuba Plays the Rumba on the Tuba (Herman Hupfeld) - Album Samba These Days 1957 Odeon

Uma curiosidade…

Quando Carmen Miranda faleceu aos Estados Unidos em 1955, Aloysio voltou para o Brasil, dissolvendo o Bando da Lua, não tenho informações sobre as datas dessas gravações, nem se esse disco era destinado ao mercado norte-americano.

Aloysio (1914-1995) se tornou o grande produtor musical da música brasileira, com Tom Jobim, João Gilberto, Silvia Telles, a turma da Bossa Nova,… o selo Elenco

Aloysio de Oliveira & Bando da Lua - Samba These Days 1957

 06.22.2011 
Ouvido 0 vezes

Quarteto Nostalgia com Chaim Lewak - Foi a Noite (Tom Jobim - Newton Mendonça) - Album Quarteto Nostalgia 1960 Beverly

O que disse Loronix de esse músico (em inglês)

:“This is Quarteto Nostalgia - Quarteto Nostalgia (1960)[]. Quarteto Nostalgia is all about a musician, Chaim Lewak, the pianist of Quarteto Nostalgia. []Chaim Lewak was born in Israel and arrived in Brazil in 1955, hired by the legendary Vogue nightclub. In spite of being a foreigner musician, Chaim got the Brazilian way of playing very fast, becoming a legend in the night of Rio de Janeiro. Chaim also played and collaborated on several records from Moacyr Silva. Chaim Lewak is not in Brazil, the date he left is uncertain, he moved to the United States and is probably active until today.

It is very hard to track down information about Chaim Lewak, so I invite you to [] hear a great Jazz piano player,[].”

Quarteto Nostalgia - 1960

 06.21.2011 
Ouvido 0 vezes

Dorival Caymmi - Saudade da Bahia (Dorival Caymmi) - Album Eu Vou Pra Maracangalha 1957 Odeon (Prod. Aloysio de Oliveira)

com Léo Peracchi (arranjador) e sua orquestra

Dorival Caymmi

Ai, ai que saudade eu tenho da Bahia
Ai, se eu escutasse o que mamãe dizia
“Bem, não vá deixar a sua mãe aflita
A gente faz o que o coração dita
Mas esse mundo é feito de maldade e ilusão”
Ai, se eu escutasse hoje não sofria
Ai, esta saudade dentro do meu peito
Ai, se ter saudade é ter algum defeito
Eu pelo menos, mereço o direito
De ter alguém com quem eu possa me confessar
Ponha-se no meu lugar
E veja como sofre um homem infeliz
Que teve que desabafar
Dizendo a todo mundo o que ninguém diz
Vejam que situação
E vejam como sofre um pobre coração
Pobre de quem acredita
Na glória e no dinheiro para ser feliz

Dorival Caymmi - Eu Vou Pra Maracangalha

Impression theme by Hello New York.